05 outubro 2011

Cuidado com a Internet



Todo mundo sabe que a maneira mais rápida de encontrar alguma informação é digitar algo no Google ou em algum site onde fóruns (ou comunidades, no caso do Orkut) sejam permitidos. De uns tempos para cá o número de blogs com mulheres dando dicas de beleza, cosméticos e afins bombou.

Por um lado, facilita muito a hora de escolhermos algum item de maquiagem ou cosmético, mas só que as dicas não se restringem somente a isso: você pode encontrar dietas malucas, cremes milagrosos e recomendações mirabolantes.

Já tem um tempo que existia no Youtube um vídeo de uma mulher que recém teve filho e queria se livrar das estrias na barriga de todo jeito. Realmente não me lembro quem era, mas ela influenciou muitas mulheres a também fazerem o mesmo: injetar bepantol líquido (com uma agulha bem fininha) nas estrias. Não sei que fim levou os experimentos dela, porque o Youtube retirou do ar. Sei que nos últimos vídeos (ou não lembro se foi nos comentários) ela reclamou que estava ardendo muito.
Sim, eu sei que ter estrias dá um desespero tremendo, mas todo cuidado é pouco!

Mas vim aqui relatar uma experiência pessoal nesse mundo de facilidade de informações. Há uns bons anos, andava eu pelas comunidades orkutísticas afora pegando dicas de cremes para a pele. Vi um pessoal comentando dos "milagres" de um chamado Glyquin (hidroquinona + ácido glicólico) na pele, e muita gente usando nas axilas para não deixar escurecer ou reverter o processo de escurecimento. Não pensei 2x e comprei (mais de cem pilas uma caixinha dele). Usei por pelo menos uns 2 anos, enquanto fazia meu curso de especialização em Ribeirão Preto, era uma maravilha. Só que quando voltei para minha cidade natal, "o bicho pegou".

O clima daqui (Campo Grande/MS) é muito mais seco, e o efeito reverteu. Minha pele ficou muito sensível e manchava por tudo. Fiz peregrinações atrás do desodorante ideal pois achava que o problema era esse. Aí num dia de iluminação (quando Tico e Teco resolveram sair da hibernação), fui a dermatologista. Quer dizer, a ideia não foi minha, foi da minha mãe. Simultaneamente, eu estava com um "coça-coça" no pé esquerdo, que eu tinha certeza que era eczema. Sempre que fico mais nervosa, saem um monte de bolinhas (mãos, cotovelos...) que coçam bastante e depois secam, então obviamente era aquilo (na minha cabeça) e danei a passar um creme com ureia a 20% -> não, esse não vi na internet, haha.

Enfim, cheguei no consultório e levei o maior ralo da vida. Primeiro: glyquin não se usa em regiões sensíveis ou de "dobraduras". Segundo: o que eu tinha no pé era uma bactéria chamada erisipela, que por sorte, estava no começo da zica toda. Resultado: tive que comprar umas 3 pomadas - sob recomendação da dermatologista, dessa vez, fazer compressas específicas, ficar de repouso total por uns 5 ou 7 dias, só podendo levantar quando fosse ao posto de saúde tomar injeções de penicilina.
Na época eu descobri uma úlcera no esôfago, por isso ela não me deu um outro remédio. Ao todo foram 14 injeções e eu mal conseguia sentar quando terminou o tratamento.

E quando eu disse "há uns anos", não faz muito tempo não! Eu já tinha mais de 25 anos na cara e nenhum bom senso. Pra falar a verdade, eu achava que estava "arrasando", que não precisava de médico nenhum.
Por isso fica aqui esse alerta! A variedade de produtos que nos oferecem prometendo mundos e fundos é imensa, mas consulte sempre um médico especialista. Sempre. Nunca se sabe se na nossa pele, produto X ou Y, que "todo mundo usa e recomenda" nos fará bem. E essas experiências podem ter consequências desastrosas para a nossa saúde.

Não queiram pagar mico como eu! :P


3 comentários:

  1. Eu parei na parte do documentário sobre produção de bananas, hahahaha. x: Mas já pensou na Branca de Neve com uma banana envenenada? Não sei, nunca fui com a cara dos anões.. oO

    ResponderExcluir
  2. Muito bom seu post!!!!!! A internet é maravilhosa...mas temos que ter filtro!!!!!
    Parabéns pelo post e iniciativa!!!!!
    bjooo

    ResponderExcluir
  3. Muito machista! Ainda por cima, na Idade Média, usavam estátuas de demônios súcubos em frente a casas para denunciar que ali era um prostíbulo. ¬¬
    Bom, de qualquer maneira, espero que nenhum íncubo passe pelo meu caminho. x:

    ResponderExcluir

Sintam-se a vontade para comentar! Sua opinião é muito importante e faz o blog melhorar.

Ocorreu um erro neste gadget