02 fevereiro 2012

Você é cúmplice de tortura?

Há um tempo deixei um link no meu "Favoritos" do navegador com a observação: comentar.
Havia me esquecido do porquê, então cliquei no link e reli o post do blog Mundinho da Tata sobre uma empresa muito famosa aí que realiza testes em animais (clique aqui para ler).

É interessante ainda notar que a tal empresa, que fatura muito dinheiro pelo mundo afora - a Avon, tem a cara de pau de dizer que só realiza testes em animais em países onde isso é lei, como por exemplo, na China. Ora, se ela realiza testes "somente onde é lei", então realiza ¬¬'

Outra empresa que está na berlinda, é a Mary Kay, que também realiza testes só quando "a lei" (lei de trogloditas, só se for) exige. Ou seja, se realiza testes quando a lei exige, então ela não tem uma política de combate à tortura animal. A Fabi, do blog Coisas e Coisinhas também fez um ótimo post sobre isso (leia aqui).

Ambas as empresas estão nos sites do Projeto Esperança Animal (PEA) e People for the Ethical Treatment of Animals (PETA), embora a M. Kay afirme que não participa disso...

Outro texto legal, é do blog Papo de Perua, onde a blogueira diz: "Boas empresas não testam seus produtos em animais. Se a empresa que você compra, testa, ou faz uso de ingredientes testados, ou paga outros para testarem, não é uma boa empresa" (link do post).

Outra marca que me deixa (*¨$$@%)*@! é a israelense Moroccanoil. Ela é "made em Israel", como várias blogueiras já mostraram (em posts sobre a diferença entre um produto "original" e um falsificado). Esta não sei se realiza testes em animais, mas a política de Israel executa, humilha, tortura e expulsa palestinos de seu país (afinal, lá ficava a Palestina, antes de financiarem a criação de Israel).

Porque não adianta ser contra testes em animais mas não estar nem aí pra crueldade contra nossos próprios semelhantes. "Ai, porque não vou ficar com o cabelo ruim por causa disso".
Pra essas "fias" que pensam assim, recomendo que abram a mente, pois existem produtos com os mesmos princípios ativos (como no caso citado, o óleo de argan) sem ser dessa marca e que não patrocinam crueldade.

E para quem acha que boicotes não dão em nada (a turminha do "deixa disso"), sugiro uma pesquisadinha na internet (Google). Vão achar vários sites falando a respeito e sobre o impacto desses manifestos na economia dessas empresas, basta deixar a preguiça de lado e colocar a "cachola" para funcionar um pouquinho.

Não vamos pecar por ignorância, comodismo ou preguiça de pensar. Afinal, nos autointitulamos "sapiens sapiens" por algum motivo...

8 comentários:

  1. realmente é um caso a se pensar, curti o post.

    http://anitamakingof.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olha... entendo e até concordo com vc em muitos pontos, mas não posso ser sonsa e ignorar que se não fossem os testes com animais a ciência como um todo (incluindo medicina, biomedicina, química e cosmética), não teríamos os avanços e progressos que temos hj. É cruel? Sim, é! Mas infelizmente ainda é um mal necessário.
    Eu, por exemplo, tenho um raio de pele super sensível, alérgica a um milhão de coisas. Infelizmente, os produtos das empresas que testam em animais são os que menos me dão reações alérgicas.
    Não que eu seja melhor que os bichinhos e tal... mas prefiro não ter reações. Podem me chamar de fútil ou egoísta, mas não posso ser mentirosa e dizer que prefiro não usar make e cosméticos do que saber que os animais sofram com os testes.
    Sinto muitíssimo, mas é a verdade. =/

    Beijocas e ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Gurias, obrigada pelos comentários.
    Gi: respondi pra você no seu "brógui".

    ResponderExcluir
  4. Sou totalmente contra a essa crueldade desnecessária que fazem com os animais!
    Esse papo de testar em animal é patético. Muitas vezes eles n]ao tem a mesma reação alérgica do que as pessoas, isso vai de pessoa para pessoa, é idiotice achar que jogando o produto dentro do olho de um animal não vai dar alergia nas pessoas.
    Enfim até remédios, sou muito contra a esses testes, deviam testar novos remédios e vacinas em presidiários do tipo assassinos, pedófilos estupradores... seria a solução perfeita.
    Enfim esse é um assunto que me revolta.
    Mas fiquei triste em saber que a Mary kay testa, será??
    Respondi seus coments lá no blog.

    beijos ;)

    ResponderExcluir
  5. huaueha, ADOREI essa: "deviam testar novos remédios e vacinas em presidiários do tipo assassinos, pedófilos estupradores". Pois é, né? Mas vai convencer DIREITOS HUMANOS, que agora até separa estuprador, deixa em celazinha individual diz que para "garantir a integridade física" dele. Me mata com essa!

    ResponderExcluir
  6. Oi flor acabeei de apagar as fotos (eram pessoias) .. qualquer coisa passa la no blog www.deduas-uma.com :** obriga pela dica :*

    ResponderExcluir
  7. Flor, acho que a Moroccanoil não faz teste em animais... Tem a história do coelhinho que indica o "cruelty free", e as embalagens da marca tem o coelhinho, e de outras marcas que fazem os testes, não tem. Pra ilustrar melhor, ó o link do blog da Pri: http://www.deliriosdeconsumo.com/2012/02/o-tal-de-argan-moroccanoil.html Fui checar os meus produtos e tem sim o coelhinho, se bem que coelhinho até eu posso tatuar, né...

    ResponderExcluir
  8. Fabiana: Sim, poupam aos animais quadrúpedes mas mandam bala (literalmente) nos da própria espécie =\

    ResponderExcluir

Sintam-se a vontade para comentar! Sua opinião é muito importante e faz o blog melhorar.

Ocorreu um erro neste gadget