06 outubro 2013

My body, my hair

'My Body, My Hair' (Meu Corpo, Meu Pelo) é um documentário filmado em Londres, que explora o mundo de mulheres e seus pelos corporais. O tema é refletido através os olhos de seis mulheres que escolhem manter seus pelos corporais. O filme foi feito durante o Mestrado de Antropologia Visual na Goldsmiths College, University of London (link).

Print screen da tela, haha (métodos pré-escolares, sou fera!)


Gente! Muito interessante esse documentário. A reação das pessoas aos pelos corporais femininos num país onde faz frio um bom período do ano - e onde até pouco tempo atrás era normal não se depilar! Aí imaginei isso aqui no Brasil, coitadas - iriam ser apedrejadas, praticamente.

Particularmente, eu não tenho nada a ver se a pessoa deixa ou não de se depilar. Hoje em dia, claro. Quando era adolescente isso me "chocava", digamos assim. Me causava muito estranhamento. Dava risadinhas quando via aquelas crentes com as pernas peludas, tinha crise de riso (ainda bem que não foi na cara da mulher, pelo menos) quando via alguém com o buço enorme e descolorido contrastando com a cor morena da pele, essas coisas escrotinhas assim. Mas nunca zombei na cara das pessoas, pelo menos isso =x

Eu sempre tive uma relação de ódio com meus pelos. Desde criança, era peluda e não via a hora de crescer mais pra depilar tudo. Minha mãe nunca foi uma entusiasta da depilação, digamos assim, e nunca disse "ei, filha! vamos ao salão depilar, mamãe vai ensinar como fazem as mocinhas". Ela só dizia, às vezes: "já está nascendo pelos aí embaixo do braço". E só. E isso me traumatizou (sim, sempre fui dramática).

Mais trauma ainda fiquei quando uma tia veio "conferir" se meus pelos pubianos já começaram a nascer. Eu tinha dez anos, acho, e fiquei HIPER constrangida. No dia seguinte peguei o aparelho de barbear do meu pai (hahaha) e raspei tudo. Desde então fiquei com uma obsessão em depilar.

Aí descobri a cera quente e as depiladoras. Mesmo quase morrendo de vergonha, era a melhor coisa que tinha descoberto. Depilava todo o corpo, ficava com uma sensação ótima. Até que conheci o depilador elétrico e aí foi só alegria.

Bem... Nem tão alegre assim. Porque não conseguia esperar os pelos das pernas e axilas crescerem até um ponto que ficasse bom para o aparelho arrancar. Então o que a mente brilhante aqui fazia? Futucava com a pinça os pelos que mal apareciam. Era doentio, analisando hoje. Ficava com o sovaco preto de tanto machucar a pele com a pinça, mas aliviada por não ter nenhum pelinho (falei que era doentio).

Até que, de tanto minha mãe pegar no pé pra eu parar com isso, comecei a me policiar e a me controlar. Hoje em dia me livrei dessa mania, ainda bem. E meu sovaco não tá mais manchado =x Mas foi duro! Passei anos nessa noia.

Enfim, essa é minha maravilhosa experiência com os pelos corporais. Depilar me dá uma sensação de limpeza, sei lá. De alívio.

E aí? Quem tem histórias engraçadas e/ou traumáticas pra contar? :D

4 comentários:

  1. hehehe nunca fui noiada com depilação. Mas pode ser q eu tenha sorte, tenho poucos pelos. Pernas só depilo dos joelhos pra baixo, principalmente no verão. Buço nunca precisei fazer, mas agora com o melasma piorando acho q vou começar a raspar pq ficam uns pelos loiros aparecendo se olhar de perto, q raiva. Eu ia escrever a história traumática aqui mas mudei de ideia, depois te conto em priivado hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois que eu tentei depilar a virilha com cera quente sozinha, nada mais me surpreende nesse mundo em termos de depilação (não tive coragem de arrancar e tirei a cera com a tesoura, sente o drama, hahaha). E tô com aquela estranha sensação de que as pessoas estão lendo isso e rolando de rir da minha cara... "Por que será?".

      Excluir
  2. Mô Deus, quanto draaaama!!! ehehehe
    Morro de rir com as tuas experiências. ^^

    Nunca tive neuras com depilação, pelos e etc. Mas não largo mão do depilador elétrico e lâmina. ^^

    XOXO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que você não é uma macaca como eu! hahaha Bjo

      Excluir

Sintam-se a vontade para comentar! Sua opinião é muito importante e faz o blog melhorar.

Ocorreu um erro neste gadget